desvantagens

Cibersegurança e Crimes Cibernéticos se tornam principal foco de Conferência Internacional Online 

 A importância da segurança cibernética tem crescido significativamente à medida que avançamos para um mundo cada vez mais interconectado. Com a evolução tecnológica e a crescente dependência da sociedade em relação aos sistemas digitais, a proteção de dados e a prevenção de ameaças cibernéticas se tornaram prioridades globais. Diante desse contexto desafiador, o Centro de Tecnologia e Sociedade (CTS) da Escola de Direito do Rio de Janeiro (FGV Direito Rio) tem desempenhado um papel crucial ao organizar a Conferência Internacional Online sobre Cibersegurança e Crimes Cibernéticos, um evento de destaque que reunirá especialistas e profissionais do campo para discutir e abordar os mais recentes desenvolvimentos e desafios nessa área vital. 

CTS é o principal organizador do evento.

A mesa de debates será mediada pelo coordenador do CTS da FGV Direito Rio, Luca Belli, e contará com a participação de renomados especialistas, como a professora da Higher School of Economics, Ekaterina Martynova; o professor da Universidade Nelson Mandela e ex-membro do Conselho do Regulador de Informações da África do Sul, Sizwe Snail; o professor do European University Institute e da Universidade de Cardiff, Andrea Calderaro; e a integrante do projeto CyberBRICS, Smriti Parsheera. 

Qual o objetivo dessa conferência?

O principal objetivo desta conferência é reunir acadêmicos, especialistas, representantes de instituições da sociedade civil e governos de diversos países para discutir os impactos dos crimes cibernéticos e as ameaças à cibersegurança em escala global. Com um foco especial nos países membros dos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), o evento explorará os mais recentes avanços no campo da segurança cibernética e do cibercrime, buscando compreender como as iniciativas existentes podem auxiliar no combate às ameaças cibernéticas. 

 Durante as discussões, os participantes se esforçarão para responder a questões essenciais relacionadas ao tema, tais como: “De que maneira a tecnologia pode ser indevidamente usada para ameaçar os direitos fundamentais?”; “Como os ataques cibernéticos podem ser atribuídos a atores específicos?”; “Qual é o significado da adesão do Brasil à Convenção sobre Crimes Cibernéticos do Conselho da Europa?”; “Quais são os esforços da ONU para desenvolver um entendimento comum sobre segurança cibernética e cibercrime?”; e “Quais são as vantagens e desvantagens de abordar conjuntamente a segurança cibernética, a proteção de dados e o cibercrime, como ocorre cada vez mais na África do Sul?”. 

 A mesa de debates será mediada pelo coordenador do CTS da FGV Direito Rio, Luca Belli, e contará com a participação de renomados especialistas, como a professora da Higher School of Economics, Ekaterina Martynova; o professor da Universidade Nelson Mandela e ex-membro do Conselho do Regulador de Informações da África do Sul, Sizwe Snail; o professor do European University Institute e da Universidade de Cardiff, Andrea Calderaro; e a integrante do projeto CyberBRICS, Smriti Parsheera. 

Quem irá mediar o debate?

A mesa de debates na Conferência Internacional Online sobre Cibersegurança e Crimes Cibernéticos será composta por um grupo de especialistas de renome, trazendo uma ampla gama de conhecimentos e perspectivas para enriquecer as discussões. A mediação ficará a cargo do coordenador do CTS da FGV Direito Rio, Luca Belli, cuja expertise em questões relacionadas à tecnologia e sociedade garantirá uma condução eficiente e esclarecedora dos debates. 

Entre os participantes, destaca-se a presença da professora Ekaterina Martynova, da Higher School of Economics, cujo conhecimento em segurança cibernética e crimes cibernéticos contribuirá para uma análise abrangente dos desafios atuais e futuros nesse campo. Além disso, o professor Sizwe Snail, da Universidade Nelson Mandela, trará sua experiência como ex-membro do Conselho do Regulador de Informações da África do Sul, fornecendo insights valiosos sobre as perspectivas e desafios específicos enfrentados pelos países em desenvolvimento. A presença do professor Andrea Calderaro, do European University Institute e da Universidade de Cardiff, acrescentará uma dimensão internacional ao debate, abordando as tendências e desenvolvimentos globais em cibersegurança e crimes cibernéticos. Por fim, a integrante do projeto CyberBRICS, Smriti Parsheera, compartilhará seu conhecimento especializado sobre a relação entre tecnologia, segurança cibernética e os países membros dos Brics, contribuindo para um entendimento mais abrangente dos desafios específicos enfrentados por essa coalizão. 

 Com uma equipe de especialistas tão qualificados, a mesa de debates na Conferência Internacional Online sobre Cibersegurança e Crimes Cibernéticos promete oferecer uma análise aprofundada, insights valiosos e perspectivas diversas sobre os principais tópicos em discussão. Os participantes terão a oportunidade de aprender com os melhores e promover um diálogo construtivo em busca de soluções eficazes para os desafios crescentes no campo da segurança cibernética e dos crimes cibernéticos. 

Como participar do evento?

O evento será transmitido no  YouTube totalmente em inglês e não terá legendas, para se inscrever gratuitamente basta acessar o seguinte link: https://evento.fgv.br/cybersecurityandcybercrime/

Considerações finais:

Em um mundo onde a segurança cibernética se tornou uma preocupação central, conferências como essa desempenham um papel fundamental na disseminação do conhecimento e na criação de soluções eficazes para enfrentar os desafios do mundo digital. A cibersegurança é uma responsabilidade compartilhada, e eventos como a Conferência Internacional Online sobre Cibersegurança e Crimes Cibernéticos nos aproximam de um futuro mais seguro e protegido. 

Cibersegurança e Crimes Cibernéticos se tornam principal foco de Conferência Internacional Online  Read More »

Tipos de pentest: black box, white box e gray box 

Os pentests são testes de segurança realizados em sistemas, redes e aplicativos para identificar vulnerabilidades e pontos fracos que possam ser explorados por invasores. Existem diferentes tipos de pentest que podem ser realizados, cada um com seu próprio nível de acesso e visibilidade. Neste artigo, discutiremos os três principais tipos de pentest: black box, white box e gray box. 

Black box pentest

O black box pentest é um teste de penetração no qual o testador não tem conhecimento prévio do sistema ou aplicativo que está sendo testado. Essa abordagem imita o ponto de vista de um invasor que não possui informações privilegiadas sobre o sistema. O testador é encarregado de encontrar todas as vulnerabilidades e explorá-las para obter acesso ao sistema, sem ter qualquer ajuda ou informação adicional. O black box pentest é uma ótima maneira de testar a segurança de um sistema de forma realista, como se um atacante real estivesse tentando invadi-lo. 

White box pentest

O white box pentest é um teste de penetração no qual o testador tem conhecimento completo do sistema ou aplicativo que está sendo testado. Essa abordagem permite que o testador acesse diretamente o código e a arquitetura do sistema, bem como outras informações importantes, como credenciais e senhas. Isso significa que o testador pode identificar e explorar vulnerabilidades com mais precisão e rapidez do que em um black box pentest. O white box pentest é uma ótima maneira de testar a segurança de um sistema de forma completa e exaustiva. O white box pentest é um teste de penetração no qual o testador tem conhecimento completo do sistema ou aplicativo que está sendo testado. Essa abordagem permite que o testador acesse diretamente o código e a arquitetura do sistema, bem como outras informações importantes, como credenciais e senhas. Isso significa que o testador pode identificar e explorar vulnerabilidades com mais precisão e rapidez do que em um black box pentest. O white box pentest é uma ótima maneira de testar a segurança de um sistema de forma completa e exaustiva. 

Gray box pentest

O gray box pentest é um teste de penetração que combina elementos dos pentests black box e white box. O testador tem algum conhecimento do sistema ou aplicativo que está sendo testado, mas não possui acesso total a ele. Essa abordagem é útil para testar a segurança de um sistema em um ambiente mais realista, pois o testador tem um nível limitado de informações, mas ainda pode encontrar vulnerabilidades e explorá-las com mais facilidade do que em um black box pentest. 

A importância de pentests frequentes e suas diferenças

Os pentests são essenciais para garantir a segurança de sistemas, redes e aplicativos. Existem diferentes tipos de pentest que podem ser realizados, cada um com sua própria abordagem e nível de acesso. O black box pentest é uma abordagem realista para testar a segurança de um sistema a partir do ponto de vista de um invasor externo. O white box pentest é uma abordagem completa e exaustiva para testar a segurança de um sistema com conhecimento completo do código e da arquitetura. O gray box pentest é uma abordagem intermediária que combina elementos dos pentests black box e white box, permitindo testar a segurança de um sistema em um ambiente mais realista. Cada abordagem tem suas próprias vantagens e desvantagens, e é importante escolher a abordagem certa para as necessidades e objetivos da sua organização Os pentests são essenciais para garantir a segurança de sistemas, redes e aplicativos. Existem diferentes tipos de pentest que podem ser realizados, cada um com sua própria abordagem e nível de acesso. O black box pentest é uma abordagem realista para testar a segurança de um sistema a partir do ponto de vista de um invasor externo. O white box pentest é uma abordagem completa e exaustiva para testar a segurança de um sistema com conhecimento completo do código e da arquitetura. O gray box pentest é uma abordagem intermediária que combina elementos dos pentests black box e white box, permitindo testar a segurança de um sistema em um ambiente mais realista. Cada abordagem tem suas próprias vantagens e desvantagens, e é importante escolher a abordagem certa para as necessidades e objetivos da sua organização Os pentests são essenciais para garantir a segurança de sistemas, redes e aplicativos. Existem diferentes tipos de pentest que podem ser realizados, cada um com sua própria abordagem e nível de acesso. O black box pentest é uma abordagem realista para testar a segurança de um sistema a partir do ponto de vista de um invasor externo. O white box pentest é uma abordagem completa e exaustiva para testar a segurança de um sistema com conhecimento completo do código e da arquitetura. O gray box pentest é uma abordagem intermediária que combina elementos dos pentests black box e white box, permitindo testar a segurança de um sistema em um ambiente mais realista. Cada abordagem tem suas próprias vantagens e desvantagens, e é importante escolher a abordagem certa para as necessidades e objetivos da sua organização 

Tipos de pentest: black box, white box e gray box  Read More »

Rolar para cima